A Ilha das Flores (documentário)

“O Sr. Suzuki, ao contrário dos tomates, baleias e galinhas, é um ser humano”, caracterizado por um telencéfalo altamente desenvolvido e polegar opositor, que cultiva tomates. Na Ilha das Flores há poucas flores, mas muito lixo, é um dos aterros sanitários de Porto Alegre. Se eu te contar que o curta conta o que acontece com um dos tomates do Sr. Suzuki até chegar à Ilha das Flores, você provavelmente vai pensar: "Oh, que história emocionante!" Pois é, uma história emocionante que Jorge Furtado nos conta neste pequeno documentário, em que em apenas 12 minutos nos dá uma lição magistral de como funciona o nosso mundo.

A Ilha das Flores (Documentário) 1Feito em 1989, ganhou, entre outros prêmios, o Leão de Prata de melhor curta-metragem de Berlim, iniciando uma carreira de sucessos e excelentes críticas, mas, como é comum em curtas e documentários, não é fácil ver com boa qualidade, e telão a gente nem fala. Este é um excelente exemplo, entre tantos, de trabalhos que só podemos desfrutar graças à existência da Internet, aquele lugar onde se aninham criminosos e piratas de todo o tipo.

O filme não nos diz nada que não saibamos, mas o faz com tanta graça, com um ritmo tão vertiginoso e usando definições ortodoxas de forma paródica, que não podemos tirar o sorriso de nossas bocas. É como "o contratante da primeira parte", que embora saibamos o que vem a seguir, ainda rimos.

Mas o fato é que entre o riso e o riso estamos redescobrindo uma realidade que não é muito bonita, conceitos como dinheiro, trabalho, comércio, lucro, lixo, propriedade ... e o "monstro" começa a se manifestar. E também redescobrimos que o "monstro" não é alimentado (apenas) pelos patrões e gerifaltes planetários, mas precisa do senhor Suzuki e seus tomates, e de Dona Anita e seus perfumes, e do dono dos porcos ... E assim, o O filme pausa seu ritmo para nos dar a oportunidade de digerir nosso lixo de telencéfalo humano altamente desenvolvido e polegar opositor. E à medida que descansa, a digestão nos faz perder o sorriso e a emoção aumenta até o fim, com uma citação de Cecília Meireles: 'liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, que não tem quem explicar e ninguém que não explique. na loja'.Final curioso aliás, porque em uma obra extremamente explícita dificilmente um final mais aberto poderia ter sido alcançado.

Você também pode estar interessado em .. Perigo de escassez de alimentos (Documentário)

Claro, o formato que ele usa teve notável influência em um bom número de documentários posteriores, e especialmente nos de Michael Moore, não só porque ele usa o humor para nos contar assuntos muito sérios, mas também pela maneira como usa imagens de arquivo, gráficos e animações para ilustrar o discurso, bem como para o ritmo acelerado da narração. Embora também seja verdade que existem antecedentes, como o fantástico 'The Atomic Cafe'.

Se você ainda não viu, não perca.

E um desejo: que você nunca olhe para trás dos porcos.

Texto via: SoloparaGourmets

Salve 

Recomendado

Gengibre, propriedades, benefícios, cultivo e como usá-lo para perder peso
Menta: os benefícios impressionantes desta planta
Chia, usos, propriedades contra-indicações e muito mais