Carne, a verdade - A verdade sobre a carne (Documentário)

Carne, a verdade - A verdade sobre a carne (Documentário) 1

O documentário holandês  Meat the Truth  (2009) descreve os problemas e as perspectivas de uma causa central do aquecimento global: a produção intensiva de gado. O filme tenta preencher o vazio deixado por "Uma Verdade Inconveniente" ao expor, com base em pesquisas realizadas pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o World Watch Institute, o Institute for Environmental Studies e a Universidade Livre de Amsterdã -entre outras organizações científicas-, essa fonte controversa e desconhecida de contaminação.

A iniciativa, liderada pela Fundação Nicolaas G. Pierson, levou este trabalho a sério e consultou importantes fontes científicas sobre questões de aquecimento global e agricultura industrial. Produzido por Claudie Everaert e Gertjan Zwanikken, apresentado por Marianne Thieme, líder do Partido Animaista Holandês, é essencial como uma ferramenta de divulgação, para que finalmente entendamos que o tratamento que damos aos animais em nossa sociedade tem que entrar definitivamente nas agendas pessoais , público, político, econômico e social em todo o mundo.

1. As lavouras de cereais e soja destinadas à alimentação de animais são a principal causa do desmatamento no mundo . O impacto ecológico que isso produz não é menor: a forragem tem que ser transportada e os grãos muitas vezes vão para outro país. Sem falar que depois o gado tem que ser transferido para o matadouro.

2. As vacas são responsáveis ​​por 37% de todo o metano produzido pela atividade humana, um gás 23 vezes mais nocivo que o CO2 e que se origina em grande parte no aparelho digestivo desses animais: arrotos, um único a vaca pode produzir até 700 litros de metano por dia.

Você também pode estar interessado em .. Um despertar bruto - O colapso do petróleo (Documentário)

3. O óxido nitroso, um gás 296 vezes mais prejudicial do que o CO2, vem diretamente do esterco de cada ruminante , quando cerca de 80% de sua dieta normal de grama acaba como resíduo. Assim, o setor pecuário é creditado com nada menos que 65% desta emanação em todo o mundo.

4. A industrialização do setor ao longo dos anos tem proporcionado aos animais uma baixa qualidade de vida . Na maioria dos casos, não há criadouro, mas sim granja: vacas, porcos e pássaros são criados em um espaço reduzido, então sobra mais em menos terra e por não conseguirem se movimentar gastam pouca energia e engordam mais rápido.

5. Os animais são mutilados para prevenir infecções : para evitar picadas, cortam-se os bicos das galinhas, cortam-se os dentes dos porcos para o mesmo fim e até as orelhas e rabo. de ser castrado sem anestesia quando ainda são bebês. Já as vacas são marcadas com ferro quente e os responsáveis ​​pelo fornecimento de leite as mantêm conectadas praticamente o dia todo a sugadores artificiais.

Além da carne e dos alimentos produzidos dessa forma industrial, eles deixam as pessoas doentes, por mais esterilizados, limpos e coloridos que pareçam, todos eles contêm centenas de substâncias estranhas que os tornam tóxicos que comemos, por isso da ecocosas.com sempre recomendamos Consumo responsável, local, ecológico e se possível próprio, cultive sua terra, crie suas galinhas, a soberania alimentar é o melhor caminho neste mundo de toxinas.

Recomendado

Gengibre, propriedades, benefícios, cultivo e como usá-lo para perder peso
Menta: os benefícios impressionantes desta planta
Chia, usos, propriedades contra-indicações e muito mais